Crunch: A indústria de jogos explora seus trabalhadores?


Crunch é o termo costumeiramente dado pela indústria a épocas em que se tem uma carga acima do normal de trabalho, e geralmente é associado ao final do prazo de entrega de um produto - aquele famoso estirão final para garantir que o jogo saia no período que os times de marketing e comercial determinaram.

Nas últimas semanas, uma série de artigos iniciados no site americano Venture Beat trouxe à tona uma discussão antiga que envolve a indústria de jogos internacional: a (possível) exploração dos trabalhadores em geral, com jornadas de trabalho extendidas e condições muitas vezes desumanas.

O Crunch é realmente necessário?


Veja neste vídeo a opinião do Malegra a respeito do crunch, e deixe também seu comentário: você alguma vez já se sentiu abusado neste sentido?

Para acessar os artigos originais (em inglês):

http://venturebeat.com/2016/03/20/why-crunch-time-is-still-a-problem-in-the-video-game-industry/
http://venturebeat.com/2016/04/16/game-developers-must-avoid-the-wage-slave-attitude/
http://kotaku.com/game-industry-veteran-writes-horrifying-article-in-defe-1771434170
http://venturebeat.com/2016/04/16/indie-developer-rami-ismail-responds-to-critic-of-work-life-balance-in-game-industry/

Malegra Mauricio Alegretti ("Malegra") é fundador do Indústria de Jogos, e desenvolve jogos digitais por paixão e profissão há mais de três décadas. Foi diretor das associações Abragames, IGDA e Acigames, co-fundou e dirigiu o estúdio Smyowl e a comunidade Portalxbox, foi Microsoft MVP em Xbox, e é creditado em dezenas de jogos em diversas plataformas e consoles.